mar 162014
 

Ainda jovem, ator estourou com “Grease” e “Embalos de Sábado à Noite”

Mais tarde, voltou aos holofotes com personagem do filme “Pulp Fiction”
Quentin Tarantino o escalou, com um cachê de principiante, para o papel do gângster Vincent Vega em “Pulp Fiction”

Quentin Tarantino o escalou, com um cachê de principiante, para o papel do gângster Vincent Vega em “Pulp Fiction”

John Travolta chega aos 60 anos como um dos raros atores que conseguiram  se reinventar várias vezes na difícil carreira de astro do cinema. A vida de Travolta está longe de ter sido só sucesso.

A história de alguém que vence na vida a duras penas, mas acaba caindo em desgraça. Com grande esforço e determinação, dá a volta por cima e vira um exemplo de vitória e superação. É um grande clichê dramático e um dos maiores símbolos dos valores americanos, que tem em John Travolta um dos seus maiores protagonistas na vida real.

Com pai de origem italiana e mãe de família irlandesa, as duas principais imigrações que formaram os Estados Unidos se encontravam no jovem ator e bailarino de New Jersey. Aos 23 anos, John Travolta se tornava uma estrela internacional vivendo o maneiríssimo Tony Manero em “Embalos de Sábado à Noite”, que lançou para o mundo a febre das discotecas.

De rei das discotecas, Travolta emplacou outro sucesso mundial como galã do musical escolar “Grease – Nos Tempos da Brilhantina”, cantando e dançando rocks e baladas com Olivia Newton-John. O disco com a trilha sonora do filme foi o segundo mais vendido do ano. O primeiro foi “Embalos de Sábado à Noite”.

Em seguida, o sucesso do seu filme “Cowboy do Asfalto” detonava uma onda de música country nos Estados Unidos.

Com 25 anos, Travolta era um sucesso mundial, estava milionário e o sonho americano era a sua realidade. Mas, nos anos 80, fez um fracasso atrás do outro e só se recuperou 10 anos depois graças a um bebê falante, no filme “Olha Quem Está Falando”.

Cinco anos depois de novos fracassos, ninguém queria mais ouvir falar de Travolta em Hollywood. Até que Quentin Tarantino o escalou, com um cachê de principiante, para o papel do gângster Vincent Vega em “Pulp Fiction”. No longa-metragem, Travolta transformou Vega em um dos maiores personagens do cinema moderno e o consagrou como um grande ator, que ganhou todos os prêmios do ano.

Na onda do “gangsterismo doidão”, Travolta também brilhou fazendo um divertidíssimo cobrador de dívidas que se torna produtor de cinema em “O Nome do Jogo” e arrasou no filme de ação “A Outra Face”, do grande mestre chinês John Woo.

Mas amargou muitos anos de fracassos até ressurgir das cinzas como a gorducha Edna Turnblad do sucesso “Hairspray – Em Busca da Fama”.

Cantar, dançar e representar é um requisito básico pra atores americanos, mas ter talento para a comédia, o filme de ação e o musical como John Travolta é muito mais raro. Isso valoriza a sua versatilidade na construção de uma carreira acidentada, que faria a alegria de qualquer roteirista de Hollywood.

Fonte: Jornal da Globo por Nelson Motta.

 Escreva um comentário

(obrigatório)

(obrigatório)


*

Você pode usar estas tags e estes atributos do HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>